sábado, 8 de janeiro de 2011

Ergonomia



Ergonomia




Aliny cristina dos santos
Juscely ferreira brandão
Marina dias de oliveira
Renata alves da silva
Tatiana aparecida



Unaí-MG
2010





Introdução

Este trabalho tem como objetivo expor os problemas que são encontrados na sala de aula, a partir da interação do aluno e seu ambiente escolar, tomando como base o estudo da ergonomia.
A ergonomia na educação contribui para o estudo da pratica pedagógica, analisando as adaptações que o aluno e o professor faz ao seu ambiente de trabalho, no caso a sala de aula.
Iremos observar os riscos ergonômicos encontrados na secretaria, e alguns métodos de prevenção.
  
Ergonomia
A ergonomia é o estudo da adaptação do trabalho ao homem. O trabalho não envolve somente o ambiente físico, mas também os aspectos organizacionais de como esse trabalho é programado e controlado para produzir resultados desejados.
Observa-se que adaptação sempre ocorre do trabalho para o homem. A recíproca nem sempre é verdadeira. Ou seja, é muito difícil adaptar o homem ao trabalho. Isso significa que a ergonomia parte do conhecimento do homem para fazer o projeto do trabalho, ajustando-o as capacidades e limitações humanas.
Ergonomia é o estudo do relacionamento entre o homem e o seu trabalho, ambiente e equipamento, e particularmente a aplicação dos conhecimentos de anatomia, fisiologia e psicologia na solução dos problemas surgidos desse relacionamento. (Ergonomics Research Society, Inglaterra).
Para realizar o seu objetivo a ergonomia estuda diversos aspectos do comportamento humano no trabalho e outros fatores importantes para o projeto de sistema do trabalho, que são:
O homem – características físicas, fisiológicas, psicológicas e sociais do trabalhador; influência do sexo, idade, treinamento e motivação.
Máquina – entende-se por máquina todas as ajudas materiais que o homem utiliza no seu trabalho, englobando os equipamentos, ferramentas, mobiliários e instalações.
Ambiente – estuda as características do ambiente físico que envolve o homem durante o trabalho, com a temperatura, ruídos, vibrações, luz, cores, gases e outros.
Informação – refere-se às comunicações existentes entre os elementos de um sistema, transmissões de informações, o processamento e a tomada de decisões.
Organização – é a conjugação dos elementos acima citados no sistema produtivo, estudando aspectos como horários, turnos de trabalho e formações de equipes.
Conseqüências do trabalho – aqui entram mais as questões de controles como as tarefas de inspeção, estudos dos erros e acidentes, além dos estudos sobre gastos energéticos, fadiga e strees.
Os objetivos práticos da ergonomia são a segurança, satisfação e o bem-estar dos trabalhadores no seu relacionamento com sistemas produtivos. A eficiência virá como resultado. Em geral a ergonomia visa, em primeiro lugar, o bem-estar do trabalhador.
Áreas de aplicação: Medicina, psicologia, sociologia, antropologia, antropometria, engenharias, arquitetura, design (produto, gráfico, ambientes, mobiliários, etc.)


Historia da Ergonomia
Em 1857 Jastrezebowisky publicou um artigo intitulado "ensaios de ergonomia ou ciência do trabalho". O tema é retomado quase cem anos depois, quando em 1949 um grupo de cientistas e pesquisadores se reúnem, interessados em formalizar a existência desse novo ramo de aplicação interdisciplinar da ciência.
Em 1950, durante a segunda reunião deste grupo, foi proposto o neologismo "ERGONOMIA", formado pelos termos gregos ergon (trabalho) e nomos (regras). Funda-se assim no início da década de '50, na Inglaterra, a Ergonomics Research Society.
Em 1955, é publicada a obra "Análise do Trabalho" de Obredane & Faverge, que torna-se decisiva para a evolução da metodologia ergonômica. Nesta publicação é apresentada de forma clara a importância da observação das situações reais de trabalho para a melhoria dos meios, métodos e ambiente do trabalho.

Ergonomia no Brasil
A ergonomia no Brasil começou a ser evocada na USP, nos anos 60 pelo Prof. Sergio Penna Khel, que encorajou Itiro Iida a desenvolver a primeira tese brasileira em Ergonomia, a Ergonomia do Manejo. Também na USP, Ribeirão Preto, Paul Stephaneek introduzia o tema na Psicologia. 
Nesta época, no Rio de Janeiro, o Prof. Alberto Mibielli de Carvalho apresentava Ergonomia aos estudantes de Medicina das duas faculdades mais importantes do Rio, a Nacional (UFRJ) e a ciencias Médicas (UEG, depois UERJ); O Prof. Franco Seminério falava desta disciplina, com seu refinado estilo, aos estudantes de Psicologia da UFRJ. O  maior impulso se deu  na COPPE, no início dos anos 70, com a vinda do Prof. Itiro Iida para o Programa de Engenharia de Produção, com escala na ESDI/RJ. Além dos cursos de mestrado e graduação, Itiro organizou com Collin Palmer um curso que deu origem ao primeiro livro editado em português.

Lesões resultantes de condições ergonômicas
As lesões resultantes de condições ergonômicas inadequadas são conhecidas como Lesões por Esforço Repetitivo (LER), Distúrbios Ósteo-musculares Relacionados ao Trabalho (DORT) ou Lesões por Movimentos Repetitivos (LMR). As causas para estas lesões são o trabalho prolongado envolvendo movimentos repetitivos, movimentos forçados e posturas incômodas. As LER são lesões dolorosas e freqüentemente incapacitantes, que afetam principalmente os punhos, costas, pernas, ombros, pescoço, músculos e articulações.
Condições ambientais adequadas são importantes para o completo bem estar dos trabalhadores e a produtividade.
Uma área de trabalho que é muito fria ou muito quente, pouco iluminada, barulhenta, pouco ventilada, ou com odores desagradáveis, causa aborrecimento, stress, fadiga, cansaço visual, dor de cabeça e outros problemas. Em casos extremos, um ambiente inadequado no escritório pode causar doenças.
As lesões e doenças relacionadas com condições ergonômicas inadequadas podem ser prevenidas, fazendo com que o local e a organização do trabalho se ajuste às necessidades físicas e mentais de cada trabalhador individualmente.

Métodos e Técnicas
A Ergonomia utiliza métodos e técnicas científicas para observar o trabalho humano. A estratégia utilizada pela Ergonomia para apreender a complexidade do trabalho é decompor a atividade em indicadores observáveis (postura, exploração visual, deslocamento). A partir dos resultados iniciais obtidos e validados com os operadores, chega-se a uma síntese que permite explicar a inter-relação de vários condicionantes à situação de trabalho.

Técnicas utilizadas na análise do trabalho
Pode-se agrupar as técnicas utilizadas em Ergonomia em técnicas objetivas e subjetivas.
• Técnicas objetivas ou diretas: - Registro das atividades ao longo de um período, por exemplo, através de um registro em vídeo. Essas técnicas impõem uma etapa importante de tratamento de dados.
• Técnicas subjetivas ou indiretas:- Técnicas que tratam do discurso do operador, são os questionários, os check-lists e as entrevistas. Esse tipo de coleta de dados pode levar as distorções da situação real de trabalho, se considerada uma apreciação subjetiva. Entretanto, esses podem fornecer uma gama de dados que favoreçam uma análise preliminar.
Deve-se considerar que essas técnicas são aplicadas segundo um plano preestabelecido de intervenção em campo, com um dimensionamento da amostra a ser considerado em função dos problemas abordados.


RISCOS ERGONÔMICOS
Estes riscos são contrários às técnicas de ergonomia, que exigem que os ambientes de trabalho se adaptem ao homem, proporcionando bem estar físico e psicológico.
Os riscos ergonômicos estão ligados também a fatores externos (do ambiente) e internos (do plano emocional), em síntese, quando há disfunção entre o indivíduo e seu posto de trabalho.


Ergonomia e Pedagogia
A ergonomia estuda a adequação do trabalho ao ser humano e pode contribuir para a melhoria de processos, produtividade, ambiente de trabalho, dentre outros.
A ergonomia em educação ainda é um campo de estudo que tem muito a contribuir no que se refere à prática pedagógica.
Neste sentido, devemos observar como a ergonomia se relaciona com a educação e quais as contribuições que ela pode proporcionar ao ambiente escolar e, consequentemente, como pode ajudar a melhorar o rendimento escolar do aluno e a qualidade do trabalho do professor.
Assim, é tarefa da Ergonomia Educacional, ser um referencial para implementar ações pedagógicas que constituem a base do Programa de Conscientização Postural na Escola (PCPE). Aplicados aos fundamentos, conceitos, referencial teórico e metodológicos da Pedagogia Postural.
O Conceito da Pedagogia Postural tem por objetivo desenvolver nas Escolas, com apoio do Programa de Conscientização Postural na Escola (PCPE), palestras educativas que possam gerar consciência crítica acerca dos problemas que afetam a postura corporal dos alunos, alterando sua estrutura musculoesquelética e, servindo de instrumento para prevenção de lesões e dores associadas que podem comprometer o rendimento escolar.
Neste sentido, apoiado nos fundamentos da Pedagogia Postural, procuramos discutir, analisar e mostrar aos alunos posturas corretas que devem ser adotadas para uma melhor interação com os instrumentos pedagógicos que diariamente os jovens utilizam, tais como: o mobiliário escolar, a mochila, o computador, como pegar e transportar objetos pesados, situações do dia-a-dia, etc.
A Pedagogia Postural tem como objetivo a reflexão, ordenação, a sistematização e a construção crítica de conceitos que levem a uma conscientização postural ampla.
Ao relacionar-se ambiente escolar e postura, observa-se que a problemática é bem diversificada. As crianças e os adolescentes permanecem por um período de quatro a seis horas nas instituições escolares, convivendo com dificuldades ergonômicas no mobiliário com disposição e proporções inadequadas e, no transporte do material escolar. A exposição dos estudantes as acomodações inadequadas do meio escolar faz com que surjam problemas relacionados à postura dos mesmos.
Hoje se sabe que quanto mais precoce for à intervenção, maior a possibilidade de recuperação, evitando-se a instalação de desvios posturais que podem comprometer a saúde e, consequentemente, o rendimento escolar do aluno.

Riscos Ergonômicos na Secretaria
As secretarias são os locais com mais casos de registros de doenças profissionais e/ou ocupacionais como LER e DORT.
§         Exigência de postura inadequada;
§         Utilização de mobiliário inadequado;
§         Imposição de ritmo excessivo;
§         Jornada de trabalho prolongada turno noturno;
§         Monotonia e repetitividade.
Além destes riscos as condições de avaliação do ambiente de trabalho fazem parte da ergonomia também:
       Nível de iluminação
       Temperatura
       Ruído
       Reflexos
       Stress físico e ou psíquico
A exposição do trabalhador ao risco gera o acidente. Cuja as conseqüências nesse caso tem efeito mediato. Ou seja, ele se apresenta de maneira acumulativa como se a cada exposição ao risco, um pequeno acidente imperceptível estivesse ocorrendo e as consequências deste tipo de acidente são as doenças profissionais ou ocupacionais.
Dores de cabeça e irritação nos olhos também são sintomas relacionados ao uso do computador decorrência da fadiga visual.

Stress
A maioria dos estudos concordam que o aparecimento do estresse é resultante da interação entre o trabalhador e as condições de trabalho e que determinadas condições de trabalho são estressantes para a maioria das pessoas.

Requisitos gerais para prevenção do stres no trabalho:
§  Evitar situações de sobrecarga ou subcarga de trabalho;
§  Evitar acumulação de tarefas repetitivas;
§  Evitar pressão indevida de tempo;
§  Possibilitar variação e alternância de tarefas;
§  Evitar conflitos de papéis e responsabilidades no trabalho;
§  Melhorar a comunicação, propiciar adequada informação e retorno sobre o resultado do trabalho;
§  Propiciar oportunidades de interação entre trabalhadores;
§  Organizar o trabalho de maneira a propiciar estímulo e oportunidades para os trabalhadores desenvolverem suas habilidades e potencialidades;
§  Propiciar aos trabalhadores oportunidades de participar nas decisões das ações que afetam suas tarefas;

COMPORTAMENTO AGRESSIVO
Esteja atento a mudanças de comportamento dos companheiros de trabalho, isso pode significar problemas sérios.
        Depressão, acessos de raiva e ameaças devem ser levados a sérios e relatados imediatamente.
        Nunca enfrente alguém que esteja com raiva ou  agindo de  maneira ameaçadora. Mantenha-se calmo e fale suavemente e tranqüilamente, enquanto sai da área.
        Confie em seus instintos. Se uma situação lhe deixa apreensivo vá até uma área segura e relate imediatamente suas impressões
        Quando surgir disputas ou problemas, direcione sua atenção à situação gerada e não a pessoa.

Trabalhar com computador e vídeo
A finalidade da possibilidade de ajuste ergonômico do posto de trabalho com a utilização de computador e vídeo evitar ao usuário os problemas que podem lhe ocasionar o emprego habitual e prolongado destes equipamentos (transtornos visuais e oculares, fadiga mental, doenças ou dores nas costas, pescoço, mãos, etc), assim como aumentar seu bem estar e eficiência na realização de sua tarefa.

Regras básicas para usuários de computadores
§      O monitor deve estar com sua parte superior ao nível dos olhos
§      A distância do monitor e o operador devem ser equivalente á extensão do braço.
§      Ajustar o monitor de maneira a evitar os reflexos da iluminação
§      Os pés devem estar apoiados no chão ou em um suporte
§      Os pulsos devem estar relaxados, porém sem estarem flexionados.
§      Se há entrada de dados deve-se usar suporte para os documentos
§      O usuário deve fazer pausas regulares para descanso


A adoção desses procedimentos irá contribuir para um trabalho mais seguro


  PARA PREVENIR QUEDAS
          Nunca improvise escadas com caixas, prateleiras ou cadeiras. Use sempre um tamborete ou escada para alcançar qualquer coisa que não esteja ao seu alcance.
          Verifique se a escada ou tamborete esta em perfeitas condições antes de usá-los.

CUIDADOS E AÇÕES
         Feche as gavetas e extensões de mesas quando não estiver em usando.
         Não se posicione com cabelos soltos e roupas largas próximo às máquinas.
         Tenha cuidado com cortadores de papel e outras ferramentas afiadas.

INCÊNDIO
Previna-se e proteja-se contra incêndio
         Mantenha colas, produtos de limpeza e polimento, removedores, solventes e outros produtos inflamáveis longe de chamas e faíscas e não fume quando usa-los.
         Nunca jogue fósforos recém usados e pontas de cigarro no lixo do escritório.
         Mantenha papéis e outros produtos longe de aquecedores, fornos e outras fontes de calor.

COMO PROTEGER-SE EM CASO DE INCÊNDIO

    Mantenha as saídas de emergência desbloqueadas. Ao primeiro sinal de incêndio ligue para o corpo de bombeiro ative o sistema de alarme, use a saída mais próxima e segura.
    Se for um pequeno foco de incêndio use um extintor, se você estiver treinado para isso. Se o incêndio for de grande proporção, abandone a área imediatamente pela saída de emergência mais próxima.

RISCO COM MATERIAIS ELÉTRICOS
        Fique atento a fios desencapados, soltos ou partidos e tomadas ou plugs danificados comunique sempre que encontrá-los.
        Se o equipamento ou fiação esquentar, avise sobre o problema imediatamente para que seja verificado.
        Mantenha líquidos longe dos equipamentos elétricos.
        Verifique um equipamento antes de instalá-lo.
        Desligue cafeteiras, lâmpadas, aquecedores portáteis e outros equipamentos quando não estiver em uso.
        Desconecte aparelhos elétricos puxando a tomada e não o fio. Não sobrecarregue as tomadas.



Conclusão
A ergonomia é um estudo das adaptações do homem com o seu trabalho, levando em conta as condições, ambientais, físicas e organizacionais. Ela tem o objetivo de garantir a segurança e bem-estar dos trabalhadores.
Atualmente a ergonomia esta presente em vários campos de estudo como a medicina, engenharia, arquitetura, design, inclusive no campo da pedagogia.
A ergonomia se relaciona no campo da educação analisando: o ambiente escolar, a postura, o stress dos alunos, para que assim, os educadores possam trabalhar os diversos problemas referentes às carteiras, mochilas, as salas de informática, etc. buscando prevenir inúmeros problemas físicos e emocionais que poderão surgir.
Ao observarmos a secretaria, constatamos os inúmeros perigos que o homem esta sujeito, a partir do seu contato com o computador, além de estresse, seja com papéis ou no atendimento a clientela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário